O Duque de Lerma é o edifício mais alto de Valladolid e o segundo de Castela e Leão. Possui 23 andares e uma altura de 87 metros, superando em quase 20 metros a torre da Catedral, o segundo edifício mais alto. 

História

A construção do edifício Duque de Lerma começou em 1970, sendo o primeiro edifício de "Os Vigias de Castela", um projeto que previa construir três arranha-céus de 32 andares e 100 metros de altura à margem oeste do rio Pisuerga. O Duque de Lerma foi construído com o objetivo de abrigar um hotel

Por diversos motivos, as obras sofreram uma infinidade de paralisações, a última com uma duração de quase duas décadas. Sua reabilitação não começou até os anos 90, quando outra imobiliária se responsabilizou pela construção de 120 moradias. 

Houve uma época na qual o edifício esteve abandonado e serviu como sede okupa, movimento social que usa terrenos desocupados ou prédios desocupados como moradias e centros políticos e culturais. Durante esse período, a fachada do edifício era um mural reinvidicativo com diversas pinturas, como "OTAN NÃO", "VIDA SIM", "BASES FORA" (bases miliares). Devido ao seu estado de deterioração, esteve a ponto de ser derrubado em várias ocasiões. 

O mirante

A reabilitação, finalizada em 1999, deixou o edifício com uma altura de 87 metros, 22 andares de vivendas, e um último andar construído para ser um restaurante mirante, local que, seguindo a "maldição do edifício", nunca foi aberto ao público. 

Em 2015, Civitatis adquiriu o 23º andar para transformá-lo não apenas em um restaurante, mas também na principal atração turística de Valladolid. Atualmente o projeto está parado, esperando a licença por parte da Prefeitura.